Posicionamento Contrário ao Domínio do EAD na Agronomia

A Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil se manifesta pelo não reconhecimento de cursos de agronomia em modalidade de Ensino à Distância (EAD), porque é método de ensino considerado inapropriado para a graduação em agronomia.

A Agronomia é a ciência à serviço da vida! Uma ciência que estuda os vegetais, os animais, o meio ambiente e, sob a engenharia do homem, o desenvolvimento da integração destes fatores, à proteção ambiental e o uso sustentado dos recursos naturais. Estuda também os instrumentos e instalações para a produção, com finalidade de propiciar à humanidade alimentos de alta qualidade biológica, matérias primas, trabalhos, segurança, bens e utilidades com maior eficiência social, econômica, técnica, ecológica e cultural.

Consideramos que o Engenheiro Agrônomo deva possuir formação sistêmica, eclética e holística. Reconhecemos a importância dos avanços tecnológicos, inclusive no ensino à distância, mas enquanto ferramenta para favorecer o processo político pedagógico, com respeito aos conteúdos que demandam presencialidade. Quando o EAD tem seus objetivos prioritariamente direcionados às necessidades de mercado, ocorre distanciamento dos interesses sociais e, consequentemente, se ignora as contradições da realidade agrária, dificultando o desenvolvimento de uma visão crítica nos futuros profissionais.

O EAD não pode ser meio dominante na formação dos futuros profissionais porque, desta forma, desconsidera as experiências e vivências únicas do convívio acadêmico cotidiano, tais como ensaios e práticas laboratoriais, viagens técnicas, estágios, monitorias, pesquisas, sem falar na interdisciplinaridade e transversalidade dos conhecimentos.

A continuidade do sucesso da nossa agropecuária tropical e subtropical, responsável por grande parte do saldo da balança comercial, com reconhecido destaque mundial na produção vegetal e animal, com atenção à segurança alimentar e nutricional do povo brasileiro, também muito depende da inteligência e da qualidade sobre a formação dos futuros Engenheiros Agrônomos, inclusive mediante o respeito aos conteúdos que demandam a necessária presencialidade!